Nome científico: Drosophila
Filo: Arthropoda
Classe: Insecta
Ordem: Diptera
Família: Drosophilidae
Subordem: Brachycera
Distribuição: Todo o planeta.
Habitat: Perto de frutas - seja em árvores, casas, fruteiras, etc.

Onde quer que o homem viva, certamente existem alimentos e restos. E é claro que as moscas sempre estarão por perto.

A famosa mosca doméstica acompanha o homem desde tempos imemoriais. E desde então ela tem sido um perigo por sua capacidade de transmitir enfermidades, especialmente as doenças digestivas.

Deveríamos então acabar com as moscas? Não é tão simples assim. Também há argumentos a favor destes insetos. Sem eles, quem iria se desfazer dos cadáveres dos animais mortos? Boa pergunta.

Na verdade, o nome comum de “mosca” também denomina uma enorma variedade de dípteros. Ou seja, de insetos que têm apenas um par de asas bem desenvolvido, enquanto o segundo par é bastante reduzido. Existem moscas de formas, tamanhos, cores e hábitos muito diferentes entre si.

Algumas, como a mutuca, chupam o sangue de animais, e eventualmente, do homem. Mas a maioria absorve matérias orgânicas, mesmo que estejam em descomposição.

Entre as mais conhecidas estão as moscas azuis, ou varejeiras; as que vivem sobre a pele de certas aves; e as que parasitam mamíferos, como a mutuca. Este inseto deposita seus ovos sobre a pele dos cavalos, que ao se lamberem engolem as larvas. Estas se fixam e se desenvolvem na parede estomacal, e então se desprendem para chegar ao exterior pelos excrementos.

A mosca-da-fruta também é bem conhecida. Ela detecta o sabor das frutas estragadas com a boca, e também com as patas. Como é muito pequena – de dois a três milímetros, no máximo – as diferentes espécies não podem ser identificadas a olho nu.

moscas